Uma empresa de TI na Madeira inova para a Internet Industrial das Coisas

Sociedade Desenvolvimento Madeira

Descarregar PDF
Artigo original

Máquinas que falam umas com as outras é uma nova realidade e não mais uma fantasia dos blockbusters de Hollywood. Nós vamos para uma corrida e a nossa pulseira de fitness comunica informações para o telemóvel. Enviamos um sinal para a cafeteira através de um aplicativo e uma xícara de bebida quente está nos esperando enquanto atravessamos a porta. Oh sim, e ligamos uma máquina de lavar à distância se necessário.

Estes dispositivos trazem mais conforto aos humanos, e todos nós apreciamos alguma ajuda para que não precisemos de sair da nossa cadeira.

Mas e se a questão em jogo for menos uma opção para desligar a luz do seu telemóvel, mas uma situação de risco de vida? Ou um contratempo que arrisca trazer enormes perdas para a sua produção? Ou vice-versa - uma oportunidade de ouro para começar a ganhar vantagem sobre a sua concorrência?

Esta área de comunicação máquina a máquina existe sob um nome comum da Internet Industrial das Coisas (IIoT). Especialistas dizem que o IIoT já não é a "próxima grande coisa", mas a necessidade actual das empresas produtoras. Mais ainda, em breve a comunicação em tempo real entre máquinas e software de negócios não será algo que o colocará num pedestal acima dos rivais, mas - a não ser que seja implementado - irá aleijar o desenvolvimento.

Curiosamente, esta área inovadora da Internet Industrial das Coisas está intimamente ligada a Portugal, e particularmente à Madeira. Aqui na ilha, uma empresa internacional Connecting Software abriu o seu escritório e cria soluções para melhores processos de fabrico e industriais.

Porquê a Madeira?

Thomas Berndorfer é um empresário austríaco-alemão que lançou o escritório madeirense do Connecting Software em 2017. É a quarta localização da empresa depois da sede em Viena, primeiro centro de desenvolvimento na Eslováquia e um escritório de vendas nos EUA. Desde a abertura, a equipa na ilha tem vindo a crescer constantemente.

"Originalmente, viemos para a Madeira porque é um lugar maravilhoso para se viver e não tínhamos grandes planos para esta divisão. Mas nos primeiros meses encontramos desenvolvedores de software motivados, boas pessoas e fatores políticos e econômicos positivos, e agora pretendemos crescer ainda mais", diz o CEO Thomas Berndorfer. A empresa expandiu o departamento de marketing na ilha, acrescentou uma equipe de testes e planeja adicionar suporte ao cliente.

Recentemente, o Connecting Software também tem fez uma chamada para o Diretor Técnico e outros cargos - não só para locais, mas também para especialistas internacionais que querem viver e trabalhar em um paraíso.

Madeira e IIoT (Internet Industrial das coisas)

Juntamente com a Eslováquia, a equipa da Madeira cria soluções de integração e sincronização para uma variedade de sectores e empresas. Um dos seus produtos mais recentes é um conector entre as máquinas de produção de uma fábrica e os sistemas empresariais padrão no desktop de todos. Actualmente, pensamos, é a única solução no mundo que permite às máquinas e aos sistemas empresariais "falar" na mesma língua.

Imagine uma fábrica onde cada máquina produz muitos dados: se está funcionando corretamente, se não está superaquecida, quanta energia está consumindo, se o material é suficiente, etc. Como seria ótimo se toda essa informação importante aparecesse em tempo real no desktop de um gerente na forma de gráficos, imagens e alertas fáceis de ler dentro das aplicações comerciais padrão como ERP ou CRM, certo? Normalmente, os sistemas empresariais não entenderiam o que o equipamento de produção "diz", mas a solução do Connecting Software atua como um tradutor entre ambos.

O que a empresa de TI tem feito é revolucionário. A sua Conector OPC-UA requer apenas habilidades básicas de um desenvolvedor e permite aprender a integração de dados de máquinas e software de negócios em três horas. Essa integração fácil é possível porque a solução utiliza a única linguagem universal entre os desenvolvedores, familiar a todo desenvolvedor. De acordo com o CEO Thomas Berndorfer, em comparação com a integração de programação a partir do zero, Conector OPC-UA reduz o código para até 90%. Isto leva a menos bugs e iterações, poupando o dispendioso tempo de trabalho do desenvolvedor.

Outra característica revolucionária do conector OPC-UA é que o cliente pode escolher como lançá-lo: na nuvem, no local ou híbrido. É especialmente importante para empresas cujas instalações de produção estão situadas longe das zonas urbanas e com forte cobertura de Internet: a integração através de uma nuvem seria uma má ideia. Finalmente, as preocupações com a segurança são cruciais: a integração no local é menos propensa a interceptação ou hacking.

Aplicação prática

Então porque é que o produto da empresa é tão importante hoje em dia? Ele permite coletar, trocar e analisar dados mais rapidamente - e cria insights valiosos para decisões comerciais mais inteligentes. De acordo com a Genpact Research Institute81% acreditam que a adoção bem-sucedida da IIoT é fundamental para o sucesso futuro.

Os sistemas IIoT ajudam a prever defeitos nas máquinas antes que eles ocorram e agem antes que uma peça falhe ou uma máquina caia.

Os técnicos de serviço de campo podem identificar potenciais problemas no equipamento do cliente e resolver os problemas antes que eles incomodem os clientes.

As aplicações IIoT conectam máquinas e dispositivos em indústrias como petróleo e gás, serviços públicos e manufatura. A implantação do IIoT pode evitar situações de alto risco ou mesmo eventos que ponham em risco a vida.

Finalmente, a sincronização de máquinas com software empresarial pode reduzir o tempo e os custos, eliminando a necessidade de inserir manualmente os dados e corrigir erros humanos. Existem muitos outros benefícios de implementar o IIoT na produção, e o mundo empresarial compreende cada vez mais que a interligação de dados de máquinas e software de desktop não é um capricho, mas sim o que é necessário ter hoje.

Qual é o próximo passo?

Há um estereótipo que só grandes empresas bem estabelecidas têm a necessidade e podem permitir a integração de dados de máquinas em sistemas empresariais. Não é bem assim.

"A integração com o conector OPC-UA é absolutamente acessível para produções de pequeno e médio porte. Além disso, você pode iniciar a sincronização apenas com várias máquinas e depois escalá-la", diz o CEO Connecting Software Thomas Berndorfer. Os especialistas da empresa podem fornecer treinamento gratuito e ajudar a encontrar a solução que melhor se adapte às necessidades do seu negócio.

O mundo está a mudar, e a velocidade das mudanças também está a aumentar. Junte-se ao movimento IIoT agora e garanta o sucesso do seu negócio nos anos vindouros.