Da Áustria à Madeira, um caso de amor que muda a vida de uma empresa

Cristina A. Ferreira - Ntech.news

Descarregar PDF
Artigo original

A ilha da Madeira acolheu um Connecting Software filial desde 2017. Nasceu com 10 funcionários e, no final de 2019, deverá chegar aos 20. O plano inicial visava apenas a criação de um escritório de representação, "mas com o tempo o número de contratações aumentou e as condições positivas deram origem ao desejo de transferir mais atividades para a ilha", diz Thomas Berndorferfundador e CEO da empresa.

"Estamos atualmente transferindo marketing e também vamos transferir serviços de manutenção e suporte ao cliente". No próximo ano, a área de vendas deve ser transferida, continua o executivo, enquanto explica como nasceu o fascínio com a ilha.

"A Madeira é um excelente lugar para se viver e também oferece benefícios fiscais. Primeiro, viemos de férias, apaixonámo-nos pela ilha, e decidimos criar um escritório aqui". Os planos para o escritório local foram redesenhados, pois o empresário identificou oportunidades e talentos locais, graças a uma parceria com a Universidade da Madeira.

A delegação tornou-se um centro de TI onde o software é desenvolvido, para além de ter áreas administrativas e de marketing, a caminho de se reforçar. Nascida na Áustria, a empresa tem mais um pólo de desenvolvimento na Eslováquia (núcleo de desenvolvimento de software) e escritórios nos Estados Unidos, onde tem a sua maior base de clientes.

Equipa Connecting Software na Madeira, recrutada na Universidade local.

Connecting Software's business

O Connecting Software facilita os processos de integração de software, através de ferramentas que agilizam este tipo de tarefas e simplificam a criação de conectores personalizados de acordo com as necessidades de cada empresa.

Sua plataforma Connect Bridge, como garantida por Thomas Berndorfer, permite treinar qualquer programador para se tornar um especialista em integração em três horas, e reduz o uso de código em até 90%. Segundo o oficial, a oferta distingue-se da concorrência pela sua simplicidade, preço e abrangência, já que não é apenas um serviço na nuvem, como acontece com muitas ferramentas deste tipo. Ele consegue "cobrir todos os cenários de uma forma genérica - on-premise, cloud, e híbrido". E nós fazemos isso desde 2010, antes de qualquer concorrente", sublinha o CEO.

A plataforma central de CS é acompanhada por um conjunto de produtos para responder a necessidades específicas, em áreas como CRM, ERP (Enterprise Resource Planning), ou Sistemas de Gestão Documental.

Um destes produtos é o CB Dynamics 365 to SharePoint Permissions Replicator, que sincroniza automaticamente os privilégios do usuário em Dynamics CRM com as permissões do SharePoint, evitando que usuários não autorizados tenham acesso aos dados da plataforma CRM, quando as duas aplicações são utilizadas de forma complementar.

Esta ferramenta também foi escolhida por Thomas Berndorfer para ilustrar o potencial do software CS, usando números estimados pela Orange Business Solutions, KPMG, ou IBM. As empresas estimam que são necessários pelo menos 200 dias úteis para que um programador desenvolva a funcionalidade garantida pela CB Dynamics 365 a SharePoint Permissões que esta ferramenta permite garantir.

Quem usa software e para quê

O ecossistema Microsoft (integração com NAV, AX, D365, Exchange / Outlook, SharePoint, e outros) tem sido um dos locais de reprodução para o crescimento deste tipo de software. A banca e os seguros, onde línguas mais antigas como a Cobol são ainda muito utilizadas, garantem também uma grande procura por este tipo de ferramenta, já que desta forma é possível integrar software desenvolvido na Cobol, sem ter de escrever código nesta língua. Indústria 4.0 e IoT são outras áreas onde as soluções da empresa podem fazer a diferença, garante Thomas Berndorfer, "ao permitir que sensores, máquinas e linhas de produção sejam colocados numa fábrica para" falar "como qualquer software utilizado no ambiente de trabalho", continua o responsável.

As grandes empresas são as principais destinatárias das soluções Connecting Software, mas o fundador da empresa garante que a oferta foi concebida para se adaptar às necessidades empresariais com diferentes dimensões, incluindo o preço.

A empresa opera com uma rede de parceiros que ainda não têm empresas portuguesas, mas onde já existem alguns nomes internacionais com negócios em Portugal, tais como ATOS, Capgeminiou DXC. Além disso, existem contactos no território para parcerias novas e mais directas.

A lista de clientes locais inclui várias multinacionais com presença em Portugal, tais como Securitas, Airestou InfineonThomas Berndorfer admite que o sucesso nos mercados do sul da Europa é muito baseado na "gestão de relacionamento", o que cria a necessidade de mais tempo para que a oferta seja conhecida e comece a gerar mais interesse.

Entretanto, a presença em Portugal, através da Madeira, continuará a ser reforçada e o CEO da CS garante que também passará por aqui à procura de uma resposta a um dos objectivos traçados pela software house para este ano: encontrar um visionário CTO (Chief Technology Officer).


Diário de Notícias da Madeira
27 de novembro de 2020

Vida Económica
12 de julho de 2020

Revista Enterprise Security
1 de maio de 2020